Fale conosco pelo WhatsApp

Hipotireoidismo

 

médico avaliando paciente com Hipotireoidismo

Imagem:shutterstock

O hipotireoidismo é uma doença decorrente da produção deficiente de hormônios pela glândula tireoide. É mais comum em mulheres, mas pode acometer qualquer pessoa em qualquer idade. Tal condição pode deixar o metabolismo do indivíduo mais lento, trazendo alguns malefícios para a saúde como um todo, além da possibilidade de ganho discreto de peso.

Com diagnóstico e tratamento relativamente simples, o hipotireoidismo deve ser acompanhado junto a um endocrinologista, pois a baixa produção dos hormônios triiodotironina (T3) e tiroxina (T4) — importantes para regular as funções de órgãos como coração, cérebro, fígado e rins — pode acarretar doenças graves.

O que é tireoide e quais alterações podem ocorrer no seu funcionamento?

A tireoide é uma glândula com formato similar a uma borboleta que fica localizada no pescoço. Essa glândula tem como função a produção dos hormônios já relatados, o T3 e o T4. Ambos auxiliam no funcionamento dos órgãos e quando estão desregulados podem gerar duas condições:

No hipotireoidismo, a tireoide não produz os hormônios de forma adequada, fazendo com que as concentrações de T3 e T4 fiquem baixas. Isso resulta em sintomas que podem passar desapercebidos no início do quadro ou até podem ser confundidos com outras doenças.

Quais são os sintomas?

Os pacientes com hipotireoidismo podem apresentar:

  • Sonolência;
  • Leve ganho de peso;
  • Cansaço e fadiga;
  • Mudanças no humor;
  • Falhas de memória;
  • Pele ressecada;
  • Intestino preso;
  • Unhas fracas e quebradiças;
  • Queda de cabelo acentuada;
  • Extremidades frias com constante sensação de frio;
  • Redução de libido;
  • Elevação do colesterol;
  • Irregularidade menstrual nas mulheres;
  • Infertilidade;
  • Dores musculares;
  • Aumento da tireoide (bócio).

Em idosos, faixa etária em que o hipotireoidismo também é muito prevalente, os sintomas podem ser diferentes dos relatados. Idosos com hipotireoidismo podem apresentar perda de peso, episódios de confusão mental, diminuição do apetite, dores musculares e nas articulações, fraqueza e maior facilidade de quedas. Por todos os sintomas e demais particularidades, é importante o correto diagnóstico e início imediato do tratamento.

O que pode causar o hipotireoidismo?

O hipotireoidismo pode ser causado por doenças que afetam diretamente a tireoide ou por doenças que afetam a glândula hipófise, reduzindo a produção do TSH (hormônio que estimula a tireoide). Dentre todas as causas, a mais comum é uma inflamação na tireoide denominada Tireoidite de Hashimoto, uma disfunção autoimune que leva à perda de função da tireoide.

Independentemente da causa, é importante que o indivíduo com hipotireoidismo seja orientado pelo médico endocrinologista, para garantir o tratamento adequado e contínuo.

Como fazer o diagnóstico?

O diagnóstico do hipotireoidismo é simples, realizado por meio da coleta de exames de sangue que incluam a dosagem do TSH e do T4 livre.

Tratando a doença

O tratamento do hipotireoidismo é feito com um medicamento chamado levotiroxina, composto que faz a reposição do hormônio que a tireoide parou de produzir. A grande questão desse tratamento se dá pela necessidade de o medicamento ser tomado diariamente em jejum, ou seja, o paciente deve acordar, tomar a medicação e esperar 60 minutos antes de tomar o café da manhã. Essa particularidade faz com que muitos pacientes abandonem o tratamento ou o façam de forma incorreta.

A continuidade e a regularidade do uso do levotiroxina é importante, pois o hipotireoidismo é uma condição crônica e que demanda aconselhamento periódico junto ao endocrinologista.

Se o paciente com hipotireoidismo estiver usando a medicação corretamente e de forma regular, os sintomas melhoram completamente e o paciente tem uma vida normal.

Particularidade do hipotireoidismo

Estima-se que um a cada 4 mil recém-nascidos possuem hipotireoidismo congênito. Nos bebês recém-nascidos, o hipotireoidismo pode ser diagnosticado por meio do “Teste do Pezinho”. Se o teste do pezinho for positivo para o hipotireoidismo congênito, o tratamento precisa ser iniciado imediatamente para evitar as consequências negativas dessa doença nas crianças como o retardo mental e o crescimento deficiente.

Em adultos, um fato comumente associado ao hipotireoidismo é o ganho de peso. É possível ocorrer uma alteração no peso, com ganho de alguns quilos na balança. Entretanto, o ganho de peso costuma ser discreto, não ultrapassando quatro ou cinco quilos.

Outra característica do hipotireoidismo em adultos é que, se a condição não for tratada de forma correta, ela pode trazer consequências negativas para a saúde física e mental, como depressão e aumento do risco de doenças do coração.

Para ter acesso a dados complementares sobre o hipotireoidismo e seu tratamento, agende uma consulta com a endocrinologista Dra. Milena Miguita em um de seus consultórios — Higienópolis ou Morumbi.